Arquivo da categoria: Tutoriais

Tutoriais

Criando um hotspot com Ubuntu 14.04

Devido a algumas mudanças entre versões, a versão 14.04 não funciona muito bem com o pouco conhecido (e ótimo script) “ap-hotspot”. Depois de instalar a nova versão (vindo do OpenSuse 12.2 só porque é LTS :> ) verifiquei que o mesmo não inicia, no terminal é exibido “Starting Wireless hotspot” e se tento reiniciar é exibido o aviso “Another process is already running“,porém o processo fica pausado no ipv4_forward, a solução é simples. Primeiro, se o já tem instalado, remova tudo (seriam o hostapd e o ap-hotspot) e com permissão de root, remova o pid do programa em /tmp/hostapd.pid. Pronto, agora baixe a versão mais antiga do hostapd neste link , e baixe o script ap-hotspot deste aqui. Copie o script para /bin como root e depois corra pro abraço :).

 

EDIT: O Ubuntu vai querer atualizar a versão do hostapd(o ap-hotspot não funciona com a nova versão no 14.04), pra evitar, rode esse comando no terminal:

$ sudo apt-mark hold hostapd

Lembre-se, execute esse comando se não tiver atualizado o hostpad, ou seja, o que está instalado é o que foi repassado para download aqui.

Até mais!.

Limpando o log de segurança do Windows com um simples script ;)

Bom, depois de algumas buscas pelo oráculo(Google) e sem sucesso, descobri uma maneira super simples de limpar o log de segurança do Windows facilmente e ajuda veio logo de quem?. RRÁ, do proprio centro de ajuda do proprio Windows. Resumindo, crie um script em .bat com o seguinte texto:

@echo off

wevtutil cl Security

Pronto, coloque isso na seção Configuração do Computador > Configurações do Windows > Scripts > Inicialização no gpedit.msc

Uso do script de configuração de rede em distros Red Hat like.

Ao instalar o Linux em modo texto, sempre temos alguns problemas mas nada que atrapalhe seu uso, afinal o Linux sempre foi bastante funcional antes mesmo de existir suas GUI’s.
Neste tutorial simples, vamos configurar a interface de rede em modo texto e subir automaticamente durante o boot, é um problema comum quando se instala em máquinas virtuais que não provêm DHCP automaticamente, como é o caso do Hyper-V, Proxmox e oVirt como exemplos.

Esta é uma receita de bolo somente para Red-Hat like. Portanto outras distros não funcionarão do mesmo modo.

Antes de iniciar, devemos saber qual editor utilizar e se temos conhecimento sobre o editor a ser usado. Preferencialmente utilizo o NANO(sudo yum install nano -y) e aos que não tiverem, utilizaremos o VI que acredito que venha instalado por padrão em qualquer distro. Sem mais enroladas, vamos começar:

1. Com permissão de root edite o script de configuração da interface de rede correspondente, no meu caso é a eth0.
# vi /etc/sysconfig/network-scripts/ifcfg-ethx(onde o x equivale a interface que você quer configurar.).
Somente devemos alterar os parâmetros “ONBOOT” e “BOOTPROTO” sendo o primeiro yes ou no.
Desça até o final do arquivo e pressione a tecla INSERT do seu teclado, o vi estará em modo de edição, altere o parâmetro ONBOOT=no para ONBOOT=yes, em seguida busque por BOOTPROTO=dhcp e escolha se a máquina terá IP dinamico ou ip estático. Se for servidor, o melhor e correto deverá ser estático portanto deixe-o como: BOOTPROTO=static.
Agora vamos inserir as informações de IP, NETMASK, GATEWAY e DNS: insira no final do arquivo:
IPADDR=ip.configurado.
NETMASK=mascara.definida (NETMASK pode ser trocado por PREFIX se quiser colocar o CIDR da mascara ao invés do endereço da mesma). Exemplo: PREFIX=24 é o mesmo que NETMASK=255.255.255.0.
DNS ou DNS1(se houver mais de um servidor DNS)=ip.do.servidor.dns
IPV6_INIT=no(se desejar que a máquina não utilize endereços IPV6.
IPV4_FAILUREFATAL=yes parametro comum do sistema em caso de falha no endereçamento IPV4.
E é só isso, agora pressione Control+C e em seguida pressione “:wq” e dê enter, o script estará salvo.
Por ultimo reinicie o serviço network (service network restart) e dê um ifconfig, a sua configuração estará pronta pra uso.

EDIT: Em alguns servidores RED HAT, tenho percebido que um parametro aparece junto com o sistema caso o tenha instalado com interface gráfica, o parametro é NM_CONTROLLED=yes, significa que o Network Manager(do gnome por exemplo) pode controlar e definir as configurações da interface, se é servidor com GUI e o colocou em modo texto, defina esse parametro para “no”, se instalou em modo texto, ele não vai aparecer, então pode deixar como está.

Como ter de volta o controle de brilho no seu notebook com openSUSE

Obs.: Esta dica pode servir pra outras distribuições também, ao menos as que possuem a ‘config’ do GRUB em “/boot/grub/menu.lst”

Bom pessoal, aqui estou compartilhando mais um pouco do conhecimento que tenho (que também não é muito). Rodei diversos fóruns, testei diversas distros Linux (atuais) e somente consegui o controle de brilho com versões baseadas no Ubuntu e claro, o próprio Ubuntu.

Tenho um Acer 5741z e lutei muito para poder ter de volta o controle de brilho. Consegui com o Ubuntu, porém eu não sou muito chegado ao Ubuntu (sorry, Ubuntu-fãs :]), então parti para outras distribuições:MandrivaPCLinuxOSKubuntu (só pelo KDE), Zorin OSElementary OS e parei no openSUSE.

Nenhuma delas (exceto as baseadas no Ubuntu) funcionaram de primeira.

O Mandriva não teve jeito, fora que pra me irritar ainda mais, ele não reconheceu a interface eth0 e wlan0 (eth0 Broadcom Netlink gigabit e Wlan0 Broadcom BCM43225 b/g/n), e as baseadas no Ubuntu, como já devem saber, basta editar o arquivo em “/etc/default/grub” e adicionar aquelas linhas ([…]quiet acpi_osi=linux[…]) e bastando reiniciar, terá seu controle de brilho de volta.

Mas nas outras não, teimaram até que eu desisti, mas gostei muito do openSUSE e decidi focar tudo que aprendi em cima dele, consegui uma solução. É simples, vamos lá.

Lembra daquele código usado no Ubuntu quando o brilho não funciona? Então, edite como ‘root’, o arquivo (em distros NÃO baseadas no Ubuntu ou Debian): “/boot/grub/menu.lst”.  OBS: No grub 2 agora é /boot/grub2/grub.cfg

Nas linhas que aparecem como padrão (assim que o sistema é instalado), adicione ao final de “[…]vga=xxx”, sendo que o “xxx” varia de sistema e Hardware senão me engano, então veja no seu arquivo que número (e letras) ele possui. Continuando, adicione ao final dessa linha este trecho:

>> quiet acpi_osi=linux acpi_backlight=vendor splash

Vide imagem:

Linux: Como ter de volta o controle de brilho no seu notebook com openSUSE

Como exemplo, aqui está parte conteúdo do meu “menu.lst” dentro da caixa de texto:

###Don’t change this comment – YaST2 identifier: Original name: linux###
title openSUSE 12.1 – 3.1.0-1.2 (default)
root (hd0,0)
kernel /boot/vmlinuz-3.1.0-1.2-default root=/dev/disk/by-id/ata-WDC_WD2500BEVT-22A23T0_WD-WXM1A60Y1754-part1 resume=/dev /disk/by-id/ata-WDC_WD2500BEVT-22A23T0_WD-WXM1A60Y1754-part2 splash=silent quiet showopts vga=0x317(aqui) quiet acpi_osi=linux acpi_backlight=vendor splash
initrd /boot/initrd-3.1.0-1.2-default

Pronto. Salve e reinicie.

Aos que possuem mais de um inicializador default e o Failsafe, basta copiar e colar os parâmetros no final do ‘vga=xxx’.

Mas lembrem-se: cole somente nas linhas que não fazem parte do Failsafe, já que o mesmo desabilita a ACPI e com esses parâmetros, poderiam ocorrer travamentos ou não fazer efeito algum.

Para os que querem saber como eu descobri, foi assim: quem tem este problema, já deve ter reparado que no Bootloader(Grub), o controle de brilho funciona normal, mas depois do carregamento do kernel e o restante do sistema, já era.

Daí, ainda no GRUB, pressionei sem querer uma tecla de caractere, e essa letra apareceu como entrada de parâmetro ao GRUB. Então analisei e vi que o “quiet” e o “splash” servem como um inicio de código (em que ele espera a entrada de parâmetros) e o Splash, um ‘end of file’.

Já tinha isso em mente, mas só prestei atenção quando fiquei intrigado com essas duas palavrinhas, o GRUB espera a entrada de parâmetros bem no final da linha onde termina com ‘vga=xxx’ (por isso a certeza de que é lá que digitamos os parâmetros e salvamos o arquivo), digitei esses parâmetros e ao iniciar o sistema, estava lá o controle funcionando uma maravilha.

Ao reiniciar não funcionava mais, então me veio à cabeça: é claro, o arquivo “menu.lst” contém esses parâmetros. Dai foi só editar o arquivo como ‘root’ e salvar; ao reiniciar, o sistema já derrubava o brilho de acordo com a configuração que eu tinha feito antes ao detectar somente bateria.

Quanto aos parâmetros, não sei como citar a fonte de quem descobriu primeiro tais parâmetros, porque tem em tantos sites que é difícil saber.

O parâmetro inteiro é este:

GRUB_CMDLINE_LINUX_DEFAULT=”quiet acpi_osi=Linux acpi_backlight=vendor splash”

E funciona no Ubuntu e derivados.

É isso ai, e Viva o Linux!
Até mais.

Previamente publicado por mim em:

O Opera está aderindo a arte de trollar também

Felizmente e infelizmente a arte de trollar existe, e bem antes de nós fãs da internet, nascermos!

Procurei em servidores de compartilhamento(que são mais viáveis do que procurar no google e ter de passar pelos protetores de link que alias são mais um meio de trollar os usuários), o álbum The Very Best of The Beatles, vejam na imagem abaixo que achei no 2shared. Pois bem, fui baixar o álbum pelo navegador Opera que me deu um grande susto(mentira ele foi trollado mesmo!), tinha acabado de clicar em fazer download quando começou a transferir, ele indicava 1 minuto e alguns segundos restantes pra acabar(puts que internet rápida), quando clico na aba transferências pra ver a que surpreendente velocidade estava, tomei outro grande susto, a velocidade estava a menos de 20Kb/s e faltavam mais de 1 hora pra terminar, pô sacanagem ;’-(  dava pra consertar esse problema que alias vem desde as primeiras versas do navegador né.¬¬ #PQP

Vejam as imagens logo abaixo:(clica que amplia)

troll 1 

troll2

Como aumentar a velocidade dos carros no Grand Theft Auto-GTA.

Descobri isso faz tempo, mas, passou pela cabeça postar isso no blog pois pode ajudar algum viciado em GTA. Vou ensinar em alguns passos como fazer isso de maneira segura, e o melhor, mudando um componente do GTA que poucas pessoas sabem que ele foi feito pra ser editado.

Antes de tudo faça backup do arquivo, este pode ser “copiado”(se recortar o game não funciona) para a pasta documentos por exemplo.

  1. Entre no diretório do game(suponho que saiba onde fica, caso não saiba ele fica em X:\Arquivos de programas\Rockstar Games\GTA(pode ser qualquer versão antes do GTA IV, então não vou especificar qual GTA você pode fazer isto=] (substitua o X pelo disco local do Windows ou onde o jogo foi instalado caso tenha um outro HD)).
  2. Depois de ter encontrado o diretório do game, procure pela pasta “data”. Em seguida procure pelo arquivo “handling.cfg” .
  3. O Windows avisará que não há nenhum aplicativo associado a este tipo de extensão, simples, basta associar ele a algum aplicativo, associe-o ao bloco de notas ou seja, abra com o bloco de notas.

Obviamente estará tudo em inglês e com uma porrada de números, dá um scroll down no texto e verá o nome de alguns carros(como na ilustração abaixo!):

O handling.cfg aberto no bloco de notas

(é só clicar para aumentar)

Bom, eu marquei um dos carros em vermelho pra mostrar como exemplo, esse carro é o Landstalker(espero que conheça) peguei uma imagem dele pra mostrar aqui:

Landstalker

O carro acima é o Landstalker do GTA-SA, aconselho entrar no jogo antes e guardar esse carro na garagem pra fazer os testes.

Pronto, feito isso vamos a edição do handling, na linha que segue NÃO altere as letras (A,B,C,D,E,F,G,H,I,J,K,L) SOMENTE da letra M até a letra R. A letra A é a variável responsável por receber o valor que equivale ao peso do carro, lembre-se a variável só aceita valores em Kg, ou seja um carro de 1000 equivale a uma tonelada virtual.

A letra M mostra quantas marchas o veiculo possui, no caso o Landstalker possui um câmbio de 5 marchas sacou?!. Não acho necessário alterar isto pois pode ficar dando erros no game se o veiculo tiver mais marchas do que seus arquivos de áudio podem ter, então sugiro que não modifique esta parte. Agora vamos pra próxima letra, a letra N, essa mostra até que velocidade o carro pode chegar no caso este carro chega a 160 Km/h, mude pra 250 e salve o arquivo, e feche o bloco de notas também( se o seu sistema operacional for Windows Vista ou Windows 7, desça pro final do post e depois volte a essa parte pra continuar com a modificação=D).

A letra O mostra a aceleração do carro, ou seja, a arrancada nele no momento em que você pressiona a tecla de movimentação do carro para frente. Sugiro que mude para 40.0 e novamente salve o arquivo, feche o bloco de notas e abra o game pra testar.

A letra P não influencia em quase nada então deixa ela lá, vamos para a letra Q, essa letra é a que muda a tração do carro(ela é que contem somente um digito no caso do Landstalker aparece o numero 4), se você mudar para 2 o carro não funcionará, pois a variável so pode receber “front” or “rear”, que no jogo equivalem a F e R respectivamente se você mudar para R significa que o carro terá tração somente nas rodas traseiras, sacou o padrão não é?, se for F terá nas rodas dianteiras e se for 4 terá em todas as rodas (4×4).

A letra R agora, essa também não vi muita diferença, mas, caso queira mudar vamos ver o que significam: D>Diesel || E>Electric(carros elétricos, pelo menos não agridem o meio-ambiente no game) || P>Petrol(gasolina por default), verificamos que o Landstalker é movido a Diesel virtual.

Agora vamos aos problemas que temos ao salvar o arquivo handling no Windows Vista/7.

Esses dois S.O’s possuem um sistema de proteção aos arquivos que encontram-se no disco onde ele está instalado, portanto, não deixam alguns programas salvarem dados em certas pastas(o bloco de notas, mesmo sendo do próprio sistema não fica de fora dessa).

Na hora de salvar o arquivo ele vai retornar uma negação de acesso a pasta, mas, pergunta se pode salvar na pasta documentos, salve na área de trabalho pra não substituir o backup que eu falei no inicio do post. Em seguida pegue o arquivo copie ele e substitua pelo arquivo original(mas que você fez backup assim espero) na pasta do game e aparecerá uma janelinha perguntando se queres continuar com a operação, clique em continuar e substitua o arquivo, depois disso o sistema aceita fazer a operação sem precisar desse trabalho todo, pode salvar em cima da pasta do game sem negação de acesso.

Com o carro de exemplo, podemos mudar os outros mas POR FAVOR com bom senso, pois não há como uma moto ficar com tração nas 4 rodas se ela só possui duas rodas não é mesmo? e barcos chegarem a 300Km/h com uma arrancada de 50.0(ficaria impossível controla-lo).

Bom espero ter ajudado algum player viciado em GTA(eu fui um, mas agora não sou mais 😦 . responsabilidades agora ¬¬) a melhorar a experiência com o game. 😀 See ya!

Como criar uma imagem .ISO com arquivos que estão no HD.

Neste post eu vou ensinar como criar uma imagem .iso, pra gravar em cd’s ou dvd‘s que neste caso é muito útil, por exemplo, você baixa um sistema operacional vamos supor que seja uma versão do Linux, dai você não sabia que era necessário gravar tudo diretamente no disco vazio e como o Winrar mostrava a imagem .iso descompactavél… então lá vai você e descompacta a imagem pra depois gravar no disco vazio e é ai que está o FFFUUU, quando voce reinicia o pc e tenta dar boot pelo cd ou dvd e não funciona, eita, perdeu o disco não é?. Isso ja aconteceu comigo e, fiz isso usando o nero express, simplesmente peguei os arquivos que estavam descompactados e joguei no nero e ai é que está o bom da historia, na hora de gravar eu não gravo em um cd ou dvd vazio e sim, gravo no hd como uma imagem .iso (lembre-se de que o nero não gravará automaticamente como .iso e sim como .nrg entao você tem que mudar antes de iniciar a gravação), depois de concluída a gravação basta gravar em um cd ou dvd vazio de verdade e então o resultado será o pleno funcionamento do boot e seu sistema que demorou tanto pra baixar vai estar lá bonitinho :). próximo post eu vou colocar imagens que explicam melhor esse processo.